segunda-feira, 26 de outubro de 2009

ITACARÉ - BA

video


Se você trabalha num lugar insano, onde te pedem mais coisas do que um ser humano é capaz de fazer, onde a demanda é infinitamente maior que o serviço que se pode oferecer, onde os recursos são limitados, mas a dificuldade de se fazer um bom trabalho é infinita, onde é necessário mais que organização, mas também articulação, engajamento e amor pelo que se faz e se pra piorar tudo você trabalha diretamente com a vida das pessoas e suas maiores dificuldades e sofrimentos e se pra piorar mais ainda você trabalha com mais do que otimismo, mas com a utopia de que o SUS, o SUAS, a LOAS, a PNAS e outras siglas mais possam se tornar realidade;
Se você não só trabalha com isso, mas consegue conciliar sua sanidade mental e sua coerência político-ideológica, sem enlouquecer ou se tornar executor de tarefas ou alienado;
Se você vive isso ou algo parecido, com certeza vai achar que um mês por ano de férias é muito pouco, vai pensar muito antes de vender dez dias e com certeza vai precisar de férias boas, inesquecíveis, relaxantes, fora de sua realidade e em lugares renovadores.
Quem estressado faria um vídeo tosco de um caranguejo construindo sua casa?
Eu consegui, espero que o efeito dure mais um ano...

domingo, 25 de outubro de 2009

Morro de São Paulo - BA




"Ter saudades do que amamos é um bem, comparado a viver com o que odiamos."
LA BRUYÈRE

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Chapada Diamantina - setembro 2009




Pela data, acho que fica óbvio que não consegui relatar nada da minha viagem durante a mesma. Isso se deu por vários motivos, foi muito bom, não tive tempo, não queria ter nehum tipo de obrigação, assumi um outro eu que era mais preguiçoso que o já conhecido e tudo estava tão intenso que não conseguia trasformar em palavras.

Mas acabou e o que ficou foram as imagens e lembranças. Ainda sem muita inspiração, a única coisa que tenho a dizer sobre essa foto é que estar no Morro do Pai Inácio e ter uma visão 360 graus dessa maravilhosa região é realmente aquele velo cliché, sem palavras... É um exercício de humildade, de sentir menos importante, de dar valor mais pra algumas coisas e menos pra outras, é uma limpeza mental, uma recriação de si mesmo.

Após muitos quilometros de carro e alguns a pé, depois desse choque de visão, os guias de bom gosto desse local incluem no passeio o pôr do sol visto desse lugar. Sem pressa nenhuma, ainda faltavam uns 30 minutos para o sol intenso se esconder e assim deitei sozinha em um canto das pedras aguardando a natureza dar seu show.

Acho que não seria exagero dizer que não sou a mesma depois desse dia.