segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Clima Nietzscheniano de fim de ano! Vídeo discovery da Marcela (Amazônia - AM)

a gente (algumas gentes quer dizer) tenta fugir das clichezadas de fim de ano, mas poucas gentes conseguem
eu de novo (vide post de fim de ano do ano passado) estou aqui numa crisezinha chata de de fim de ano, querendo abandonar tudo, de saco cheio de pessoas chatas, intolerantes e burras, repensando coisas e querendo mudanças
a diferença entre mim e algumas pessoas mais comuns e que eu não fico só querendo
de vez em quando eu faço "uma merda" na vida pessoal e de vez em quando na vida profissional
entre aspas porque quando faço todo mundo acha que fiz merda e até eu mesma no começo, mas depois é isso mesmo, eu arco com minhas escolhas
arrependimento é para os tolos e a vergonha e a culpa são para os idiotas
e eu em meu momento nietzscheniano encerro meus posts de 2010 assim:

"O que nos torna heróicos? - Ir ao mesmo tempo para além da sua maior dor e da sua maior esperança.
Em que tens fé? - Nisto: em que é necessário determinar de novo o peso de todas as coisas.
O que diz a tua consciência? - Deves transformar-te no homens que és.
Onde se encontra o teu maior perigo? - Na piedade.
O que amas nos outros? - As minhas esperanças.
A quem chamas mau? - Àquele que quer envergonhar sempre.
Que encontras de mais humano? - Poupar a verdade a alguém.
Qual é a marca da liberdade realizada? - Não mais corar de si próprio."

A Gaia Ciência, livro III, 286-75

e até 2011, eu agora quero saber de diversão,
hoje, amanhã e até o fim desse ano eu sei que é isso que eu quero! depois...

video

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Alter do Chão - PA (foto por Marcela Mattos)


eu vi o céu mais lindo da minha vida nesse lugar
de noite eu vi o céu estrelado mais lindo do mundo deitada na areia e olha que já coleciono bonitos céus!
uma cidade longe de toda aquela luz que atrapalha a visão dessa maravilha
acho que qualquer dia eu me encho de verdade dessas cidades grandes e cheias de luzes e mudo pra um lugar assim
espero que meus amigos me visitem, porque às vezes estou de saco cheio de gente, mas sempre tem alguém com uma luzinha, uma marquinha boa de ficar perto
sempre tem aquelas que a gente vai amar pra sempre
como diz o deleuze em algum lugar que não lembro mais e não acho mais (algo assim):

"o dia que eu não for mais capaz de amar algumas pessoas e coisas (não muitas) estarei morto, mortificado"

qualquer dia acho que não volto... sempre falo isso, um dia acho que chega, ainda sou (mais ou menos) jovem e com energia pra algumas coisas
acho que o que ainda me faz resistir na profissão, que sei lá que raio caiu na minha cabeça pra escolher, é gostar de gente, não sempre, não todas mas...